Sé de Évora
A atividade Na Rota do Escritor, organizada pela BE da ESA há já alguns anos, tem procurado dar a conhecer vários escritores e respetivas terras.

“Viajar com um escritor é um modo de vivificarmos as nossas raízes históricas, culturais, literárias e linguísticas. Viajar com a literatura é também uma forma singular de conhecimento e de fruição; é ainda um modo de evocar tradições, de enriquecer o nosso imaginário coletivo e de solidificar o sentimento identitário enquanto nação e enquanto cultura, com consciência da sua individualidade e riqueza.” 

Este ano, como comemoramos o centenário do nascimento de Vergílio Ferreira, insigne e plurifacetado escritor, reconhecidamente marcante no panorama intelectual do século XX e cuja obra urge reler, a biblioteca sugeriu visitar Évora, uma cidade tão indelevelmente associada à obra do autor de Aparição.

Vinte e duas pessoas aceitaram o desafio e a visita aconteceu nos dias 8 e 9 de julho, conforme roteiro abaixo:

Dia 7 de julho

  • 08h30 – Saída de Arouca (Escola Secundária de Arouca)

  • Paragem técnica em área de serviço e coffee break 

  • Almoço em Almeirim no  Restaurante O Forno.

Menir de Almendres
  •  Jantar no restaurante café Alentejo (comida tradicional alentejana) e Évora by night.
Templo romano
No dia seguinte, após pequeno almoço no hostel 
Ao pequeno-almoço, oferta de dois livros de Vergílio Ferreira
e algum tempo livre, os locais de Évora que constam da obra “Aparição”, de Vergílio Ferreira, ou que foram “vividos” pelo próprio escritor puderam ser percorridos graças a um roteiro elaborado pela câmara municipal, acompanhados por uma guia. A visita incluiu locais como o atual edifício central do Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora, onde antigamente funcionava o Liceu Nacional de Évora, em que Vergílio Ferreira, depois de chegar à cidade em 1945, foi professor, até 1959.
Universidade de Évora
A praça Giraldo, o Alto de S. Bento, o Templo Romano, os largos da Porta de Moura e Luís de Camões, a Sé, a Igreja de S. Francisco ou a Capela dos Ossos foram outros dos pontos de paragem da visita. Aqui pudemos também visitar o Núcleo Museológico e a galeria de presépios, valiosa coleção da família Canha da Silva, com peças oriundas de 80 países dos cinco continentes e desfrutar do Terraço da Galilé uma magnífica vista sobre a cidade.
Évora
O regresso fez-se pela pacata vila de Arraiolos ( almoço, flânerie e visita ao castelo).
Arraiolos
Castelo de Arraiolos
Esta atividade, como as realizadas em anos anteriores, pretendeu proporcionar um reencontro, um renovado abraço à literatura portuguesa na memória e na obra de um escritor, um pretexto para uma boa conversa e uma boa mesa e o início de uma nova descoberta em torno da nossa cultura e da nossa terra.
Se a visita a Évora agradou, então terá valido a pena. Aprofundar a leitura e conhecer melhor a obra de Vergílio Ferreira é o desafio que se coloca, agora, a cada um de nós.

|ver fotos aqui|

Vive o Instante que Passa 

"Vive o instante que passa. Vive-o intensamente até à última gota de sangue. É um instante banal, nada há nele que o distinga de mil outros instantes vividos. E no entanto ele é o único por ser irrepetível e isso o distingue de qualquer outro. Porque nunca mais ele será o mesmo nem tu que o estás vivendo. Absorve-o todo em ti, impregna-te dele e que ele não seja pois em vão no dar-se-te todo a ti. Olha o sol difícil entre as nuvens, respira à profundidade de ti, ouve o vento. Escuta as vozes longínquas de crianças, o ruído de um motor que passa na estrada, o silêncio que isso envolve e que fica. E pensa-te a ti que disso te apercebes, sê vivo aí, pensa-te vivo aí, sente-te aí. E que nada se perca infinitesimalmente no mundo que vives e na pessoa que és. Assim o dom estúpido e miraculoso da vida não será a estupidez maior de o não teres cumprido integralmente, de o teres desperdiçado numa vida que terá fim. "


Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente IV' 


0 comentários:

Publicar um comentário

 
Top